J. R. R. TOLKIEN, O hobbit

John Ronald Reuel Tolkien (J. R. R. Tokien, 1892-1973) já não precisa de apresentação para o grande público, especialmente depois que o seu mundo fantástico foi levado aos cinemas. Após o sucesso do The lord of the rings, o mundo pode ver na tela dos cinemas The hobbit. Quis personalizar minha apresentação para entusiasmar a leitura de O hobbit, por isso partilho com o leitor as frases da obra que mais me impactaram.

Gosto daquela parte na qual, Bilbo, depois de desejar um bom dia a Gandalf, este lhe responde: “O que você quer dizer com isso? — perguntou ele. — Está me desejando um bom dia, ou quer dizer que o dia está bom não importa que eu queira ou não, ou quer dizer que você se sente bem neste dia, ou que este é um dia para se estar bem?”. É bom filosofar sobre coisas triviais… mas sem se complicar, hein!

Depois que Gandalf propõe a Bilbo uma aventura, este lhe diz: “Nós somos gente simples e acomodada, e eu não gosto de aventuras. São desagradáveis e desconfortáveis! Fazem com que você se atrase para o jantar!” Típico exemplo de pessoas muito ocupadas consigo mesmas ou… um exemplo ao contrário daquilo que você não deve ser!

Não sabia, mas foi uma curiosidade interessante para eu descobrir que “os trolls, como vocês provavelmente sabem, precisam entrar debaixo da terra antes que amanheça, caso contrário retornam ao material das montanhas, de que são feitos, e nunca mais conseguem se mexer. Foi isso o que aconteceu com Bert, Tom e William” – Conhecimento inútil altamente interessante para os que se animam simplesmente a contemplar. Para que serve filosofar? Para nada. Mas justamente nisso está um dos maiores valores da filosofia.

“os elfos sabem muita coisa, são espantosos quando se trata de notícias, e ficam sabendo o que acontece com os povos da terra com a rapidez da correnteza, ou mais rápido ainda.”. Mas, por favor, não conclua que são fofoqueiros, talvez apenas bons jornalistas!

Sobre a noção subjetiva de tempo: “É estranho, mas as coisas boas e os dias agradáveis são narrados depressa, e não há muito que ouvir sobre eles, enquanto as coisas desconfortáveis, palpitantes e até mesmo horríveis podem dar uma boa história e levar um bom tempo para contar”.

Depois de estar preso num barril por uma semana, diz um anão: “Espero nunca mais sentir o cheiro de maçãs outra vez! — disse Fili. — Meu barril estava cheio dele. Sentir o cheiro de maçãs eternamente quando você mal pode se mexer, está com frio e doente de fome, é de deixar qualquer um doido. Agora eu seria capaz de comer qualquer coisa deste vasto mundo, por horas a fio, mas não uma maçã!” Depois dessa, as maçãs não pareçam detestáveis ao leitor, claro… exceto talvez para os diabéticos!

“Não sobraram palavras para expressar a sua vertigem desde que os Homens mudaram a língua que aprenderam dos elfos, no tempo em que todo o mundo era maravilhoso”. Essas coisas me dão saudades do paraíso perdido!

Você é especial, mas tampouco há que crer-se tão grande coisa. As palavras de Gandalf a Bilbo nos ajudam a entender o lugar que cada um ocupa neste vasto universo: “Você é uma ótima pessoa, Sr. Bolseiro, e gosto muito de você, mas, afinal, você é apenas uma pessoazinha neste mundo enorme!”

Pe. Françoá Costa, um padre, mas uma pessoazinha!

06/06/2017

Posted in Livros.

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

* Campo obrigatório