Henri Ghéon, O Cura d’Ars

O Cura de Ars já estava morrendo, mas os penitentes ainda subiam ao seu quarto para se confessarem. Eram as últimas horas, todos queriam ver o santo, vinte sacerdotes escoltaram o Santíssimo Sacramento para a última comunhão de São João Maria Vianney. Sim, morria um santo ou… vivia um santo para a eternidade. No dia 6 de agosto de 1859, havia trezentos sacerdotes e religiosos e outros seis mil fiéis acompanhando o seu féretro. Pio XI canonizou S. João Maria Vianney no dia 1º de novembro de 1924.

São João Maria Vianney, conhecido como Cura d’Ars, nasceu em 1786 e faleceu em 1859.

Ref.: Henri GHÉON, O cura d’Ars, tradução de Antônio Maria d’Albuquerque, São Paulo: Quadrante, 2ª ed., 1998, 171 pg.

Posted in Livros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

* Campo obrigatório