Espiritualidade Diocesana? Um tema de estudo… (Pe. Françoá Costa)

Muito se fala na espiritualidade diocesana Brasil afora. Sem dúvida alguma, trata-se de um tema de estudo de enorme interesse. Nesse pequeno artigo, há um esboço do pensamento do autor sobre o tema: Espiritualidade diocesana para o sacerdote secular

Continuar lendo

Apologética, 25/25: O que dizer da Assunção de Maria?

Certa vez afirmou Bento XVI: “Ao contemplarmos a Virgem Maria, recebemos mais uma graça: a de poder ver em profundidade também a nossa vida. Sim, porque inclusive a nossa existência quotidiana, com os seus problemas e as suas esperanças, recebe luz da Mãe de Deus, do seu percurso espiritual, do seu destino de glória: um […]

Continuar lendo

Apologética, 24/25: Como Maria foi concebida sem pecado?

Conta-se que o Beato escocês João Duns Scoto (1266-1308), estando diante duma imagem de Nossa senhora, rezou da seguinte maneira: dignare me laudare te, Virgo sacrata: Virgem Santa, fazei com que eu fale bem de vós! Em seguida, o franciscano fez as seguintes perguntas: – A Deus lhe convinha que a sua Mãe nascesse sem a mancha […]

Continuar lendo

Apologética, 23/25: Maria teve outros filhos?

A Santíssima Virgem Maria não teve outros filhos depois que Jesus nasceu, pois o sacrário que foi o seu corpo para o Filho de Deus não convinha ser utilizado por mais ninguém. O ventre de Maria foi tabernáculo tão somente do Filho de Deus. Também esta parte da verdade de fé da virgindade intacta de […]

Continuar lendo

Apologética, 22/25: Maria foi a Sempre Virgem?

O nosso Salvador foi concebido pelo poder do Espírito Santo e nasceu da Virgem Maria. Estamos a pensar, portanto, no nascimento temporal do Filho de Deus. Quanto ao nascimento eterno, nós não podemos circunscrevê-lo a um momento preciso, já que a existência do Filho de Deus é desde toda a eternidade: existiu, existe, sempre existirá; […]

Continuar lendo

Apologética, 21/25: Maria é Mãe de Deus?

Maria é Mãe de Deus porque Jesus é Deus! Todas aquelas passagens da Sagrada Escritura que dizem que Jesus é o Filho de Deus e que ele nasceu de Maria são argumentos a favor desta verdade de fé. Ora, se Jesus é Deus e Maria é Mãe de Jesus, a conclusão necessária é que Maria […]

Continuar lendo

Apologética, 20/25: Celibato apostólico

Será que o celibato é uma invenção da Igreja Católica? Se considerarmos que a palavra “invenção” significa “encontro”, então o celibato foi encontrado pela Igreja Católica, já que este foi um presente que Deus deu à sua Igreja como um carisma maravilhoso, de doação e de sinal escatológico. São Paulo pensava que Jesus ia voltar […]

Continuar lendo

Apologética, 19/25: O Papa e a Besta

O fato de que houve alguns papas na história da Igreja que foram bastante bestas ou que você mesmo que me lê neste momento talvez seja um tanto besta, não significa nem que o Papa seja a besta do Apocalipse nem que você o seja. Estamos acostumados a ver os papas como pessoas que estão […]

Continuar lendo

Apologética, 18/25: De onde vem essa ideia de purgatório?

Para começar, é uma questão de bom senso já que no céu entram apenas os santos. Vejamos: quando morrermos, provavelmente não seremos nem santos a tal ponto de irmos direto ao céu, nem tão pecadores (em pecado mortal) a tal ponto de sermos lançados lá. Logo deve ter um estado intermédio entre o céu e […]

Continuar lendo

Apologética, 17/25: Será que invocar os santos é necromancia?

Necromancia significa “adivinhação através de um falecido” (nekrós, falecido; mantéia, adivinhação). O livro de Levítico proíbe esta prática: “Não vos voltarei para os necromantes nem consultareis os adivinhos, pois eles vos contaminariam” (Lv 19,31). O mesmo se diga de Dt 18,10-14; 2 Re 17,17; 1 Sm 28,3-25; 1 Cr 10,13-14. No Novo Testamento, a adivinhação […]

Continuar lendo